Vinhos e espirituosos franceses sempre no topo!

Graças aos Estados Unidos e à China, a faturação do sector das exportações atingiu os 12,91 mil milhões de euros no ano passado. Uma subida de 8,5% segundo os números publicados na quarta-feira pela Federação dos exportadores de vinhos & bebidas espirituosas de França (FEVS).

 

Nos Estados Unidos, é essencialmente graças ao conhaque que pesou 40% do valor das exportações. As vendas progrediram 9,5% e atingiram pela primeira vez a barreira dos três mil milhões de euros. Na China, foi o desenvolvimento das classes médias superiores que contribui para as vendas dos produtos de luxo, as expedições aumentaram 24,5% para atingir os 1,2 mil milhões de euros, especialmente concentradas no conhaque e nos vinhos da região de Bordéus. Parece que os clientes chineses conhecem melhor os produtos e consomem as garrafas da gama superior.

Assim, após anos de morosidade desde a implementação das medidas anticorrupção do governo chinês, os grandes grupos franceses de vinhos e bebidas espirituosas (LVMH, Pernod Ricard e Rémy Cointreau nomeadamente) veem finalmente as suas vendas de conhaque aumentarem na China.

No total, as exportações de conhaque aumentaram de 10,8% atingindo 3,07 mil milhões de euros em 2017 e a dos vinhos de 9,6% atingindo 8,67 mil milhões de euros, e um aumento de 7,4% a 2,82 mil milhões de euros para o champanhe.

Mas não nos podemos esquecer do Reino Unido, que ainda é o segundo mercado para os vinhos e bebidas espirituosas franceses. As vendas progrediram de 2,7% atingindo 1,33 mil milhões de euros, apesar de ter existido uma baixa de mais ou menos -4 a 5% para o champanhe, que sofreu os efeitos do voto do Brexit.

 

As exportações de 2017 mantêm a classificação dos vinhos e bebidas espirituosas no segundo lugar do excedente da balança comercial francesa, tradicionalmente atrás da aeronáutica e à frente dos perfumes e cosméticos.

 

Sylvain Patard

16/02/2018