Prowein 2018: Líder incontestável dos salões vinícolas

Depois de ter pesquisado os caminhos de tudo o que é organizado em torno do planeta em termos de salões de vinhos, desde Vinovision Paris, Angers (Salão Vinícola do Vale do Loire) Millésime Bio, Vinisud e até mesmo Chengdu, de onde voltámos hoje, confirmamos que o status do Prowein é inegável.

 

Com 6870 expositores de 64 países e 30.000 visitantes profissionais anunciados, é de facto o salão com maior sucesso em termos de negócios – e isso é o mais importante – mas também em termos de qualidade, organização, localização, serviços... As duas palavras que constantemente ouvimos da boca dos expositores são densidade e qualidade. Densidade, porque quase nunca pára, além dos compromissos agendados que ocupam uma boa parte do tempo, na realidade bastante curto do salão (os organizadores estão a pensar adicionar um quarto dia), uma multidão de visitantes deambula pelos corredores e vagueia de stand em stand à procura da descoberta do ano.

Qualidade, porque as conversas são entre profissionais e, mesmo que naturalmente não levem sistematicamente a um contrato ou a um compromisso, permitem sempre que ambas as partes aprendam e reforcem as suas convicções ou, pelo contrário, evoluam em contacto com os seus interlocutores.

Para os compradores europeus e mesmo mundiais, esta é a oportunidade única de fazerem o seu comércio nos caminhos de Düsseldorf. Com a presença de todos os principais países produtores, como Itália (1700 expositores), França (1550), Alemanha (990), Espanha (612) e Portugal (363), assim como um grande número de produtores do novo mundo (700 expositores), especialmente dos Estados Unidos, África do Sul, Argentina, Chile, Austrália e Nova Zelândia...

 

O Prowein colocou a fasquia muito alto e será muito difícil de destronar. Novo encontro em 2019 para confirmar ou negar a tendência!

 

Sylvain Patard

28/03/2018